Your address will show here +12 34 56 78
Gestão voltada para resultados

Certamente você já deve ter ouvido o ditado popular “Quem não se comunica, se trumbica”, certo?

Mas quando falamos de mercado empreendedor, o ditado popular pode ser traduzido como “quem não se divulga, não se destaca entre os concorrentes”. Ou seja, a forma que apresentamos nossos serviços/produtos para a sociedade, clientes e possíveis interessados é o grande segredo para o sucesso. E essa formula é o que chamamos de Marketing!

Com a evolução da tecnologia e novos meios de comunicação, estratégias de marketing passaram a ser a principal aliada quando buscamos resultados eficazes.Através do marketing, as pessoas conseguem ter acesso a um grande acervo de informações sobre diversos tipos de serviços e produtos, facilitando empresas e profissionais a entenderem os reais desejos do cliente, para satisfazê-los de forma plena e constante.

A atuação do profissional de marketing precisa ser moldada à essas novas tendências de mercado, para que haja identificação, atração e engajamento do público externo com aquilo que você oferece.



Listamos 10 dicas de leitura que podem te ajudar a melhorar sua performance e te integrar no universo do marketing.


1. The Fundamentals of B2B Marketing and Sales – John Coe

A falta de sinergia entre marketing e venda é um indicador de que sua empresa está perdendo oportunidades de negócio (seja pela captação de leads sem perfil ou pela queima de leads quentes) e é de interesse da maioria dos empreendedores, se não de todos, alinhar esses dois setores. Por isso “The Fundamentals of B2B Marketing and Sales” vai te ajudar na hora de melhorar sua performance. Nessa obra, o autor discorre sobre como melhor otimizar seus resultados através de uma novo método de vendas. Método este que tem como condutor o marketing, auxiliando na qualidade de leads gerados e no sucesso de vendas.



2. O Que os Clientes Amam – Harry Beckwith

Persuadir, influenciar e convencer os outros é uma batalha diária para quem quer sobreviver no mercado. Harry Beckwith discorre justamente sobre  a sobrecarga de informação, o declínio da confiança, o fortalecimento do setor de serviços e o desejo de se comunicar e estabelecer relações. É a partir dessas transformações que o autor ensina a construir uma marca e aproveitar as mudanças no mercado para garantir a satisfação do cliente e manter sua fidelidade.



3. As Armas da Persuasão – Robert Cialdini

Você sabia que a dimensão persuasiva no marketing acelera a influência sobre o consumidor através das diferentes formas e mecanismos de persuasão? Na obra de Robert Cialdini, persuasão é ciência e não arte, e usa das pesquisas para nos fazer compreender o que está por trás de cada decisão e como podemos melhorar nossas chances de sucesso em qualquer ambiente e tipo de público ao usar técnicas adequadas.



4. Como convencer alguém em 90 segundos – Nicholas Boothman

Melhorar a sua comunicação e a forma com que se apresenta às pessoas é o principal objetivo desta obra. Trazendo exercícios e dicas para evoluir suas habilidades de persuasão, de comunicação e para ter mais empatia com seus interlocutores, Nicholas Boothman diz que fórmula do sucesso baseia-se em saber o que você quer, saber ver seus resultados e corrigir os passos errados.



5. Marketing 3.0 – Philip Kotler

O mundo está mudando e constantemente novas mídias vão aparecendo no mercado. Certamente, isso desprende uma atenção redobrada quando falamos de inovação no marketing. Em seu livro, Philip Kotler discorre sobre um novo modelo de marketing, e traz à tona discussão de criar produtos, serviços e empresas que inspirem, incluam e reflitam os valores de seus consumidores-alvo. Consumidores estes não vistos apenas como clientes, mas sim como seres complexos e multifacetados.



6. Marketing Aplicado – Cláudio V. S. Farias; Caroline Duschitz; Gustavo Meneghetti de Carvalho

Quem nunca ouviu ou acreditou na expressão “falar é fácil, quero ver fazer”?! No livro “Marketing Aplicado”, os autores trazem uma ótima fundamentação teórica, com forte aplicação prática e enfoque integrado das atividades de planejamento, avaliação e gerenciamento de processos de marketing. Trazendo exemplos de pequenas e grandes empresas, a obra aborda as particularidades dos negócios virtuais e das novas formas de colaboração e comunicação via internet.



7. A Cauda Longa – Chris Anderson

Esse best seller analisa como o mercado de nichos está substituindo o mercado de hits na nova economia. A leitura promove a discussão sobre novas tecnologias e lojas on-line,  compara o exemplo dessas lojas on-line a outros sites e como essas mídias contribuíram para os avanços no mercado.



8. A Revolução das Mídias Sociais – André Telles

Ao mesmo tempo que redes sociais podem aproximar seus negócios com a sociedade, ela pode ser um grande empecilho para o sucesso dos seus projetos se não bem utilizadas. André Telles comenta sobre o marketing digital proporcionar experiências positivas aos seus seguidores, objetivando a conversão de bons leads. Descubra como bons vídeos, textos, fotos e áudios podem alavancar suas financias.



9. De Zero a Um – Peter Thiel

“Nada se cria, tudo se transforma” não é o lema de Peter Thiel! Em sua obra, ele discorre sobre inovação, capacidade de enxergar o futuro e competência. O valor de uma empresa hoje é a soma de todo o dinheiro que ela ganhará no futuro e uma grande empresa é definida por sua capacidade de gerar fluxos de caixa no futuro. Assim, “De Zero a Um” se torna uma valiosa ponte de incentivo à criação e ousadia no mercado de startups, evidenciando que, em um mundo de recursos escassos, a globalização sem tecnologia nova é insustentável.



10. Marketing Empresarial – 100 Dicas para Valorizar a Imagem de Sua Empresa – Sady Bordin

O seu produto/serviço pode ser ótimo, a estrutura da empresa impecável, a análise de números dos resultados desafiadores, mas de nada adianta tamanho esforço se você não sabe se relacionar bem (tanto com o público interno quanto o externo). A obra de Sady Bordin vem justamente para mostrar a importância do profissional da área de marketing e valorizar o setor dentro das empresas. Com uma leitura leve, “Marketing Empresarial – 100 Dicas para Valorizar a Imagem de Sua Empresa” é um ótimo livro de cabeceira! Ele sempre te lembrará que Marketing não é só montar apresentações de Power Point e fazer edição de imagens.


Gostou do post?  Não esqueça que esse setor concentra a força do seu negócio e se tratado com descaso pode enfraquecer (e até afundar) seu negócio.

Qual livro não pode faltar na sua cabeceira?

Continue acompanhando nosso blog para saber mais novidades sobre gestão de equipes, projetos e indicadores.

Veja também: Whitepaper Gratuito – Passo-a-passo de como implementar KPI’s ou indicadores-chaves de desempenho

0

Gestão voltada para resultados

Se observarmos, nos últimos anos, alguns movimentos estão ganhando força, como a redução do consumo desenfreado com o slow consumerism, slow food e slow life, o aumento do consumo de alimentos orgânicos e pouco industrializados, a busca pela espiritualidade, com empresas oferecendo meditação aos funcionários e o crescimento da prática da yoga, a economia da colaboração, do compartilhamento, aumento do home office, a maior busca pelo propósito de vida, entre outros. 

Ao entender esses movimentos culturais e sociais sua empresa pode criar serviços inovadores que encantem os clientes, agreguem valor gerando disposição para pagar por estes. 

 

Você analisou como tudo isso pode estar impactando o seu negócio? 

 

Estes movimentos tem impacto sobre as empresas e fazem com que elas se preocupem cada vez mais com o engajamento das pessoas, com trabalho em equipe, inovação e colaboração. Assim, demandam soluções que promovam o engajamento e sejam orientadas para produtividade. 

As empresas precisam reinventar a forma em que as pessoas trabalham, criar ferramentas para as equipes, repensar a forma de medir engajamento, gerir carreiras e permitir o aprendizado individual. A compreensão que feedback e que medidas de engajamento são críticas para qualquer negócio faz com as empresas comecem a adotar ferramentas que provêem feedback para as equipes, gestores, criem redes abertas e anônimas. Assim, pode-se identificar problemas na gestão, na liderança e nos processos instantaneamente ao invés de esperar os resultados das pouco eficazes pesquisas anuais, semestrais… 

Por outro lado, as empresas também sabem que é dificil engajar pessoas se elas estão cansadas, sobrecarregadas, pouco saudáveis ou com pouca identificação com o propósito da empresa. Assim, as empresas tem estimulado a prática de exercícios, meditação, atividades de auto-desenvolvimento, pois dessa forma pode-se aumentar o engajamento e o desempenho. 

E em 2020? 

Segundo estudo da Deloitte, em 2020 as pessoas estarão buscando mais propósito, significado e emponderamento. Hoje em empresas como Google, Amazon, Netflix e Facebook “os times e seus líderes já são o rei”, o foco já é no emponderamento dos times e missão, propósito e sustentabilidade traduzem o negócio.
 

Empresas líderes estão reinventando a forma de gerir e medir desempenho, criando uma abordagem mais ágil, a forma de compartilhar as metas que normalmente eram impostas de cima para baixo e fazendo conversas regulares de desenvolvimento. 

Este novo cenário demanda novas ferramentas que possam: medir o desempenho por equipes e não por hierarquia; gerir a equipe de forma ágil e dinâmica com as pessoas podendo pertencer a múltiplas equipes; mostrar metas transparentes, fáceis de mudar e que tenham uma forma simples de medir progresso; ter check-ins fáceis e simples; facilitar feedbacks; possuir planos fáceis de construir e baseados na orientação para os dados com foco nas experiências anteriores de outras pessoas no mesmo papel; ter alta usabilidade e mobilidade; possuir aplicativos integrados com outros e com diretórios usados no trabalho diário.  

Em um cenário que o trabalho é visto como realização, as empresas procuram soluções e transformam o ambiente de trabalho para que estas novas variáveis que destacamos sejam alinhadas. Segundo o relatório citado da Deloitte que prevê disrupções para 2017, isso significa dar uma ênfase maior em softwares colaborativos de gestão e comunicação, além de repensar o modo como as organizações mensuram o desempenho. 

 

E você? Conte-nos o que tem feito para alinhar sua empresa com estas tendências que discutimos.  


0

Gestão voltada para resultados, Projetos eficientes

O termo Software na nuvem se refere a usar recursos computacionais residentes em uma máquina remota e que são entregues aos usuários como serviços sobre uma rede, tipicamente a internet.

O uso de software em nuvem, já faz parte da realidade da maior parte das pessoas e das empresas. Ao acessar o internet banking, usar Facebook ou o Google Drive você está “na nuvem”. Atualmente, a maioria das empresas de software já oferece seus produtos online, sem que o cliente precise instalar nada ou comprar servidores. Nesse post vamos falar sobre as vantagens de usar um software na nuvem para gerenciar seus projetos.




Software na nuvem para gerenciar seus projetos

Seus projetos podem se beneficiar do uso de softwares na nuvem, sejam eles projetos ágeis ou tradicionais.


Softwares na nuvem para gerenciar seus projetos estão disponíveis e trazem vários benefícios! A decisão de ir para nuvem deve incluir análise da forma como são feitas as entregas dos projetos, a facilidade de gestão da equipe e das tecnologias de informação.

Ir para a nuvem pode ajudar na gestão da equipe, nas entregas do projeto, na comunicação e também na gestão do ciclo de vida do produto, quando o projeto for encerrado.


O que dizer sobre as vantagens em custos?


Na nuvem paga-se por uso. Assim, você cria seu ambiente e paga pelos recursos e espaço que usar no momento. Não é necessário comprar servidor, licença de banco de dados e pagar pessoal especializado para administrar tudo isso. Você pode começar pequeno e ampliar a medida que o projeto cresce e as necessidades aparecem. Em projetos de demanda temporária, o uso de software em nuvem reduz o investimento necessário, baseado geralmente, na avaliação do pico de uso.


E do ponto de vista dos riscos?


O uso de ferramentas na nuvem reduz vários tipos de riscos. Pode-se começar pequeno e ir testando o software a medida que o projeto cresce. Além disso, você não vai precisar cuidar da infra-estrutura (instalação, teste, manutenção, backup,  redundância etc), podendo ampliar o foco no seu projeto.


Com relação ao cronograma, este também pode ser adiantado! Se você não precisa se preocupar com a infra-estrutura de instalação do software, uma fase do projeto pode ser pulada.


E do ponto de vista da flexibilidade?


Você pode decidir aumentar ou diminuir sua infraestrutura de tecnologia na hora que quiser, de forma extremamente rápida e ágil. Você simplesmente faz “upgrade” e tem mais recursos à disposição, automaticamente. Quando você utiliza um software em nuvem, o próprio fornecedor se encarrega disto, utilizando métodos automatizados que garantem que sempre haverá disponibilidade, não importa o número de pessoas que estão acessando o sistema naquele momento. Isso é muito útil para negócios sazonais, que tem picos e quedas de movimento.

Se você decidir deixar de usar a ferramenta, basta parar de assinar o serviço e não haverão mais cobranças. Ainda mais em tempos de crise, essa é um das vantagens do software em nuvem que mais atrai as empresas.


Acessibilidade a recursos de ponta


As pequenas e médias empresas tem acesso a recursos de ponta usados por grandes empresas quando usam software em nuvem, o que é possível graças ao fato de cada empresa pagar pelo que usa, o que faz os preços se ajustarem com o tamanho da empresa e sua necessidade de uso.


Sucesso do cliente


As empresas de software em nuvem, sabendo que o cliente a qualquer momento pode cancelar o serviço, dão atenção especial para conquistar e manter o cliente sempre satisfeito, o que é muito bom para todas as partes.


Facilidade de comunicação, conveniência e disponibilidade


Podemos citar ainda a facilidade de compartilhamento das informações entre a equipe, já que todos os usuários podem acessar estas via nuvem. A conveniência é outra vantagem do uso de softwares em nuvem, pois permite fácil acesso à informação e pode comodar usuários de diferentes fusos horários. Isso aumenta as possibilidades colaboração já que é mais fácil acessar, ver e modificar documentos e arquivos.

Além disso, normalmente existe a disponibilidade contínua de recursos, pois utiliza-se vários servidores para maior redundância. No caso de um sistema falhar, instâncias de outras máquinas são ligadas automaticamente.


Conheça o nosso software que vai além gestão de projetos: HINC.


Para saber mais sobre as vantagens de se ter um software na nuvem, baixe gratuitamente o Whitepaper: Cuidados na escolha de um software de gestão projetos

0

Gestão voltada para resultados

Sua empresa terminou o ano de 2016 e você tem a sensação que muito do que foi planejado não foi alcançado? Você sente que todos trabalharam muito, ficando muitas vezes sobrecarregados, mas os resultados não foram os esperados? Quer saber como planejar na prática?

Sabe-se que a grande maioria das estratégias empresariais falham não por erro de estratégia, mas por falta de acompanhamento, priorização, tempo e de modelos consistentes de execução do trabalho para as equipes.

Nas empresas, diante das urgências e do volume de coisas para fazer, pode-se perder o foco na realização das principais tarefas e projetos. Uma empresa de alta performance depende de equipes de alta performance, que tenham:

  1.  Foco no que de fato é importante.
  2.  Metodologia de definição de metas consistentes com o mundo rápido, interativo e digital em que vivemos.
  3.  Ferramenta de acompanhamento on line, pois boa parte dos planos não sobrevive se não forem sistematicamente acompanhados, reavaliados e até redefinidos. Com uma ferramenta certa, você vai acompanhar melhor os resultados em 2017.

Para fazer um 2017 consistente com as expectativas da virada do ano, é importante planejar na prática e acompanhar o que está sendo realizado.

Como planejar na prática?

Existem vários métodos que que podem ser utilizados. Um método muito difundido, é o 5W2H – What; Why; When; Who; Where; How to do; How much. Essa matriz de questionamentos vai orientar a construção da seqüência de atividades vinculadas a seu plano de ação.

Outro método que utilizamos e gostamos é o que abordamos no post  OKR: o que são e como implementar na sua empresa. Este framework pode te ajudar na definição dos objetivos e metas.

No entanto, objetivos e metas precisam fazer sentido. Assim reavalie antes de mais nada, juntamente com as pessoas chaves na sua empresa:

  • Quem somos?

  • Qual a nossa missão?

  • Qual a relevância do nosso negócio para o mercado e aonde queremos chegar?

  • Explore os dados e informações e faça a análise de mercado, dos concorrentes e dos insumos (internos e externos) para realização de seu negócio.

  • Avalie como está o alinhamento das pessoas com a empresa, com sua visão, valores e missão.


Empresas que conseguem ter e acompanhar seu plano, aproveitando as boas oportunidades, redefinindo rumos, se necessário, e alinhando as pessoas, seu principal ativo, são as que conseguem chegar onde almejaram.

Se alguma dúvida aparecer, o HINC e nossa metodologia de gestão para resultados pode te ajudar a fazer um 2017 melhor!

Você também pode se interessar: PLANEJAMENTO NA PRÁTICA COM O HINC

 

0

Gestão voltada para resultados

O final do ano está chegando e nesse momento todos começam a refletir sobre  questões pessoais e profissionais.  Da mesma forma, as empresas de sucesso também se preparam para um novo ciclo, reunindo as informações necessárias para organizar seus recursos e garantir a produtividade máxima no próximo ano. Enfrentamos um cenário desafiador em 2016, com as crises econômica e política que deixaram algumas organizações com resultados abaixo do esperado. Mas então, como se preparar para começar o próximo ano com tudo? A resposta: planejamento estratégico.

A resposta para melhores resultados: planejamento estratégico

O planejamento estratégico é fundamental para estabelecer a direção, garantir o sucesso da empresa e mantê-la competitiva no mercado. Com ele é possível traçar os rumos e todos os seus desdobramentos, voltados ao alcance de metas estabelecidas para um cenário de futuro melhor. Pensando nisso, separamos alguns pontos importantes para ajudá-lo a realizar um planejamento assertivo para sua empresa:

1) Analise a situação atual da empresa

Esse é o momento de análise sobre a sua empresa. Saiba como você está inserido no mercado, avalie os resultados do ano que passou. Começar um planejamento estratégico com base apenas no que você espera do futuro, não irá gerar os frutos que você espera.

2) Defina o seu objetivo

Revise a missão, visão e valores da sua empresa. Em seguida, é hora de traçar os objetivos esperados. Aqui sim, você olhará para a sua empresa inserida no futuro .

3) Analise o ambiente externo, as ameaças e oportunidades.

O ambiente externo influencia nos resultados de seu negócio. Esteja atento a esses elementos, como crescimento ou retração da concorrência, aumento de preço de matéria-prima, taxas de juros, entre outros. É importante identificar como sua empresa poderá ser impactada pelas ameaças e oportunidades do ambiente externo, não apenas no presente, mas também no futuro. Assim, realize um diagnóstico externo.

4) Descubra seus pontos fortes e fracos

Identifique quais são os fatores críticos de sucesso de seus concorrentes para poder comparar com  seus pontos fortes e fracos. Dessa forma, você terá realizado o diagnóstico interno de sua empresa.

5) Construa planos de ação e monitore estes

Após ter identificado as oportunidades e ameaças do ambiente em que sua empresa está inserida, assim como seus pontos fortes e fracos, será possível definir os objetivos estratégicos e os planos de ação para implementá-los. Lembre-se, no entanto, que mais importante do que fazer os planos, é monitorá-los, analisar os indicadores previamente definidos e tomar ações corretivas, se necessário.

 

Cases de sucesso em 2016

A Resultados Digitais promove todo ano o maior evento de Marketing Digital e Vendas da América Latina, o RD Summit. Nesse evento, a empresa nomeia entre suas agências parceiras, os vencedores do Prêmio Agência de Resultados. Dentre as vencedoras, destacamos as parceiras Astrus Web, que venceu a categoria de “Agências do Ano”, o prêmio principal do evento, e a Orium Marketing para Vendas, ganhadora da categoria “Primeiro Valor”. Essas agências se destacaram pelo trabalho realizado e, principalmente, pela capacidade de planejar e acompanhar os resultados.

Vale lembrar que o planejamento na Astrus Web e na Orium são realizados no Hinc, nosso software para gestão de projetos,  tarefas, equipes e indicadores. Parabéns às vencedoras, desejamos muito sucesso!

E você, como realiza seu planejamento estratégico e que ações pretende tomar para melhorar seus resultados em 2017? Compartilhe com a gente suas experiências, sugestões e dúvidas!


Conteúdo relacionado: 
Whitepaper: “A arte do planejamento: Melhorando resultados em meio a crises!”

1

PUBLICAÇÕES ANTERIORESPage 1 of 4SEM MAIS PUBLICAÇÕES