Planejamento estratégico, Sem categoria

5 benefícios da arte do Planejamento de obras que você precisa conhecer

Planejamento de obras

O planejamento de obras contribui para a coordenação e a harmonia dos esforços e das ações das pessoas de diferentes áreas de um empreendimento. Além disto, possibilita a definição de padrões necessários ao acompanhamento da execução do planejado, medindo o desempenho das atividades e adaptando-os aos planos traçados.

Gantt Chart with hand holding pen

Com base em Welsch (1993), Anthony e Govindarajan (2002) e Horngren, Foster e Datar (2000), listamos cinco benefícios que as rotinas de Planejamento podem fornecer para qualquer empreendimento:

1. Objetivos e padrões realistas

A elaboração de um Planejamento por si só não garante que os prazos e custos definidos sejam, de início, realistas. Porém, o acompanhamento da execução e a comparação deste com o que foi planejado permite que a empresa adquira novos conhecimentos sobre o processo de planejamento, possibilitando a otimização de planejamentos futuros, tornando-os mais próximos da realidade.

2. Limites de gastos e prazos a serem cumpridos

É preciso deixar claro o desempenho esperado. Para tal tarefa temos duas ótimas ferramentas: o Cronograma Físico-financeiro e o Cronograma de Desembolso. A primeira cruza as informações orçadas e planejadas (cronograma de execução de cada atividade orçada) mensalmente, quinzenalmente ou semanalmente (conforme a necessidade), apresentando o quanto se espera executar, em valores e em forma de competência.  Já a segunda ferramenta citada apresenta o quanto se espera desembolsar (ou seja, o fluxo de caixa) mensalmente, quinzenalmente ou semanalmente (conforme necessidade), também cruzando informações do orçado e do planejado (cronograma de cada atividade orçada), levando em conta cada insumo utilizado na composição de cada serviço planejado.

3. Critérios de desempenho

Servirão como um referencial para a avaliação da performance do empreendimento. Por exemplo, indicadores de produtividade do realizado em relação ao planejado medem e avaliam a performance do empreendimento no dia-a-dia, tanto em relação a prazos quanto a custos.

4. Coordenação e comunicação da equipe

Por meio do entrosamento e do balanceamento de todos os fatores de produção ou serviços internos das unidades responsáveis pelo empreendimento (engenharia, compras, administrativo de obras, etc), o Planejamento torna os objetivos compreendidos e aceitos por todos.

5. Instrumento de avaliação

É preciso esclarecer que o Planejamento é o instrumento de avaliação do real desempenho do empreendimento. O Planejado para cada obra (Orçamento e Planejamento/Cronograma) será o padrão da mesma. A comparação entre o Planejado (padrão) e o Realizado possibilitará a avaliação e o aprimoramento de vários fatores. Listamos alguns:

a. Se a obra está no prazo, adiantada ou atrasada em relação ao Planejado;

b. Os Cronogramas Físico-Financeiro e de Desembolso, ambos de forma mensal, quinzenal ou semanal;

c. A relação entre o que foi medido fisicamente da obra (ou seja, executado), periodicamente, com o que está comprometido (pago e a pagar);

d. O aprimoramento do processo de Planejamento, melhorando Planejamentos de obras futuras e, conseqüentemente, o controle e o resultado destas.

A arte do Planejamento de obras traz resultados positivos visíveis a toda equipe envolvida, que adquirirá muito mais conhecimento e aprimoramento. É o ponto de partida que torna possível a elaboração de padrões, para que se possa comparar o realizado, analisando os resultados e estabelecendo melhorias para as próximas etapas e obras.

Saiba mais:

CTA 02

Banner pronto