Gestão de projetos, Sem categoria

O que são ferramentas para diagnóstico de projetos e por que usá-las?

Um diagnóstico de projetos consiste num instrumento com o objetivo de levantar todos os aspectos empresariais necessários, como vendas, estoques, processos produtivos, estrutura de custos, geração de caixa, etc. Tal qual ocorre em nossa vida pessoal, periodicamente é necessário que façamos um check-up em nossa empresa, e tal qual ocorre na medicina, nas empresas também podemos utilizar ferramentas como o diagnóstico de projetos para realizar tal check-up.   Services   Com o atual desenvolvimento tecnológico, é imprescindível a utilização de softwares para tal tarefa. Com eles, além de podermos centralizar os dados num mesmo local (e o que é melhor, um local virtual, que não ocupa espaço físico), podemos cruzar estes dados com outros dados, realizando o acompanhamento necessário com a obtenção de novas, consistentes e constantes informações importantes para a tomada de decisões.   Todo e qualquer diagnóstico de projetos deveria responder, de forma imparcial, as algumas perguntas como: O que foi realizado até o momento na empresa? O que deve ser feito? Quem são os responsáveis por cada tarefa? Quais são as intervenções necessárias a certas atividades? Estas intervenções são rentáveis? Existe clima na empresa que admita tal intervenção? E quanto ao longo prazo, o que fazer? Com as respostas e frente aos levantamentos efetuados é possível traçar metas, objetivos, prazos de execução e definir os responsáveis por cada atividade.   A finalidade ao responder a questões como as acima (e a outras que surgirem) é colocar em evidência qualquer desarmonia entre as estruturas da empresa ou entre a empresa e a realidade do mercado onde está inserida. Sendo assim, torna-se o diagnóstico um instrumento valioso e indispensável de gestão. Ele possibilita uma visão global e dinâmica da empresa, definindo um roteiro geral ao processo decisório.   Porém, deve-se ter em mente a não adoção de soluções já prontas, empacotadas ou milagrosas. O objetivo do diagnóstico é apresentar uma abordagem direta, profunda e eficaz, adequada ao objetivo a ser alcançado. Uma maneira de se obter isto é utilizando metodologias, como a dos pontos fortes e fracos da empresa, além do levantamento das oportunidades e ameaças à mesma – a famosa Análise SWOT, uma das tantas metodologias úteis que podemos utilizar ao fazer um diagnóstico.   Os pontos fortes deverão ser explorados ao máximo; os pontos fracos serão elencados com as causas e sugestões de correção. Tais pontos (forças e fraquezas) são resultantes da posição atual da organização no ambiente externo, quase sempre relacionado com os fatores internos. É neste ponto que será elaborado o Planejamento para uma nova rodada (ou a primeira, dependendo do caso) do ciclo PDCA. Com a aplicação de um plano de melhoria (contínua) será possível rentabilizar seus pontos positivos e diminuir seus pontos fracos.   Desta forma o diagnóstico terá atingido seus objetivos: identificação de problemas, determinação das causas destes problemas, avaliação dos recursos humanos e as qualificações e responsabilidades necessárias para a implantação das soluções encontradas. Ao final do próximo ciclo PDCA, um novo diagnóstico deverá ser feito, com as perguntas anteriormente citadas e/ou com novas, conforme necessidade.

Caso queira saber mais sobre PDCA  leia também:

Ciclo PDCA: Porque devemos visualizar como uma ferramenta orgânica