Gestão voltada para resultados

Novas tendências que você precisa ficar de olho em 2017

Se observarmos, nos últimos anos, alguns movimentos estão ganhando força, como a redução do consumo desenfreado com o slow consumerism, slow food e slow life, o aumento do consumo de alimentos orgânicos e pouco industrializados, a busca pela espiritualidade, com empresas oferecendo meditação aos funcionários e o crescimento da prática da yoga, a economia da colaboração, do compartilhamento, aumento do home office, a maior busca pelo propósito de vida, entre outros. 

Ao entender esses movimentos culturais e sociais sua empresa pode criar serviços inovadores que encantem os clientes, agreguem valor gerando disposição para pagar por estes. 

 

Você analisou como tudo isso pode estar impactando o seu negócio? 

 

Estes movimentos tem impacto sobre as empresas e fazem com que elas se preocupem cada vez mais com o engajamento das pessoas, com trabalho em equipe, inovação e colaboração. Assim, demandam soluções que promovam o engajamento e sejam orientadas para produtividade. 

As empresas precisam reinventar a forma em que as pessoas trabalham, criar ferramentas para as equipes, repensar a forma de medir engajamento, gerir carreiras e permitir o aprendizado individual. A compreensão que feedback e que medidas de engajamento são críticas para qualquer negócio faz com as empresas comecem a adotar ferramentas que provêem feedback para as equipes, gestores, criem redes abertas e anônimas. Assim, pode-se identificar problemas na gestão, na liderança e nos processos instantaneamente ao invés de esperar os resultados das pouco eficazes pesquisas anuais, semestrais… 

Por outro lado, as empresas também sabem que é dificil engajar pessoas se elas estão cansadas, sobrecarregadas, pouco saudáveis ou com pouca identificação com o propósito da empresa. Assim, as empresas tem estimulado a prática de exercícios, meditação, atividades de auto-desenvolvimento, pois dessa forma pode-se aumentar o engajamento e o desempenho. 

E em 2020? 

Segundo estudo da Deloitte, em 2020 as pessoas estarão buscando mais propósito, significado e emponderamento. Hoje em empresas como Google, Amazon, Netflix e Facebook “os times e seus líderes já são o rei”, o foco já é no emponderamento dos times e missão, propósito e sustentabilidade traduzem o negócio.
 

Empresas líderes estão reinventando a forma de gerir e medir desempenho, criando uma abordagem mais ágil, a forma de compartilhar as metas que normalmente eram impostas de cima para baixo e fazendo conversas regulares de desenvolvimento. 

Este novo cenário demanda novas ferramentas que possam: medir o desempenho por equipes e não por hierarquia; gerir a equipe de forma ágil e dinâmica com as pessoas podendo pertencer a múltiplas equipes; mostrar metas transparentes, fáceis de mudar e que tenham uma forma simples de medir progresso; ter check-ins fáceis e simples; facilitar feedbacks; possuir planos fáceis de construir e baseados na orientação para os dados com foco nas experiências anteriores de outras pessoas no mesmo papel; ter alta usabilidade e mobilidade; possuir aplicativos integrados com outros e com diretórios usados no trabalho diário.  

Em um cenário que o trabalho é visto como realização, as empresas procuram soluções e transformam o ambiente de trabalho para que estas novas variáveis que destacamos sejam alinhadas. Segundo o relatório citado da Deloitte que prevê disrupções para 2017, isso significa dar uma ênfase maior em softwares colaborativos de gestão e comunicação, além de repensar o modo como as organizações mensuram o desempenho. 

 

E você? Conte-nos o que tem feito para alinhar sua empresa com estas tendências que discutimos.  


Autor


Avatar

Maristela Franco Paes Leme

Consultora em desenvolvimento humano e organizacional.